domingo, 26 de agosto de 2012

Mães de Minas - Conheça este projeto!

O Programa Mães de Minas nasceu para cuidar da vida dos novos mineiros. Trata-se de um conjunto de ações de saúde voltadas para a proteção e o cuidado da gestante e da criança no primeiro ano de vida, como parte da Rede Viva Vida.
Os cenários que levam à mortalidade infantil e materna apontam para a necessidade de fortalecer o cuidado com a gestante, a criança e sua família, tão logo se tenha notícia do início da gravidez.  Por isso, o Governo de Minas se propõe, com esse programa, estabelecer um contato individual com cada gestante, mobilizando todos os recursos necessários para o acompanhamento do pré-natal e também do primeiro ano de vida da criança, para identificar e sanar situações de risco.
O programa Mães de Minas, por se propor a conhecer e a  zelar por cada gestante e criança do Estado. Por isso, a informação assume um caráter fundamental. Não basta saber que a gestante e a criança existem, como acontece nos sistemas de informação clássicos. É preciso que essa informação chegue em tempo real, para possibilitar acompanhamento e proteção eficazes. Para atingir esse objetivo, além da instalação de um call center (155), há também um olhar especial para a criação de um forte rede de Mobilização Social.

Medidas para o desenvolvimento do Programa Mães de Minas.
  • Criação de uma central de atendimento telefônico (Ligue 155), como grande ferramenta de interlocução direta com a gestante, sua família e com os serviços de saúde, visando o monitoramento da gravidez, do nascimento e do desenvolvimento da criança.
  • Implantação de um sistema de identificação da gestante, para agilizar o completo conhecimento de todas as mães.
  • Mobilização e comunicação social por meio de parcerias com órgãos governamentais, instituições do terceiro setor, a gestante, sua família e a comunidade.
  • Gestão dos recursos necessários para garantir assistência efetiva à gestante e à criança, em todas as etapas desse acompanhamento.
  • Investimento em diversos hospitais do Estado para garantir um tratamento adequado.
Objetivos
  • Garantir proteção social à gestante e à criança de risco por meio da mobilização e do estabelecimento de parcerias com setores governamentais e entidades da sociedade civil.
  • Identificar 100% das gestantes por meio da implantação do Sistema de Identificação da Gravidez em Minas Gerais.
  • Implantar um projeto de mobilização e comunicação social para a gestante, sua família e a comunidade.
  • Acompanhar e monitorar 100% das gestantes e crianças menores de 1 ano por meio da implantação de uma central de atendimento telefônico.
  • Garantir assistência efetiva à gestante e à criança, com apoio da rede de atenção e gestão dos sistemas de apoio diagnóstico e logístico.
Meta
Reduzir a mortalidade infantil em Minas Gerais e garantir um nascimento mais digno e mais saudável.

Pergunta Frequentes
1- COMO POSSO ME BENEFICIAR COM O MÃES DE MINAS?
O projeto Mães de Minas nasceu para cuidar da vida dos novos mineiros, para mostrar que a VIDA é o bem mais importante para o Governo de Minas. Trata-se de um conjunto de ações de saúde voltadas para a proteção e o cuidado da gestante e da criança durante seu primeiro ano de vida. Para participar do projeto é importante que a gestante/mãe ou familiar se cadastrem. O Cadastro pode ser feito de três formas:
• Durante as consultas de pré-natal/ e da criança: fornecendo ao médico ou equipe de saúde os contatos da gestante, mãe, ou familiar e autorizando o envio dos dados ao Call Center;
• Nos laboratórios, quando recebida a confirmação da gravidez: fornecendo os contatos da gestante, mãe ou familiar e autorizando o envio para o Call Center;
• Diretamente no Call Center: a gestante/mãe liga para o número 155, na opção 2 ela entra em contato com a Secretaria de Estado da Saúde e escolhe a opção 1 que é o Programa Mães de Minas.
2- SOMENTE GESTANTES E CRIANÇAS ATENDIDAS NO SUS FARÃO PARTE DO MÃES DE MINAS?
Não. Todas as gestantes e familiares de crianças com até 1 ano podem e devem se cadastrar no projeto ligando para o Call Center (155) ou solicitando o cadastro ao seu médico. Mesmo as mães atendidas na rede particular (planos de saúde etc) devem se cadastrar. A proposta do projeto é garantir a saúde de todos os jovens mineiros, independente da condição socioeconômica.
3- EM CASO DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA AS USUÁRIAS PODERÃO ENTRAR EM CONTATO COM O CALL CENTER? COMO OS SEUS PROBLEMAS SERÃO RESOLVIDOS?
O Call Center funciona 24 horas por dia durante todos os dias do ano. Ele tem uma equipe de enfermeiros e médicos de plantão 24hs, todos os dias da semana, que poderão ser acionados para orientar a gestante, família ou mãe nos casos de urgência/emergência. No entanto a central não substitui o atendimento médico e não funciona como SAMU ou resgate. Assim, na maioria das vezes, o Call Center orientará o usuário a buscar o melhor atendimento de acordo com sua situação e dará suporte à distância até que a equipe de urgência chegue ao local ou até que a família busque o atendimento de urgência. O Call Center não acionará o SAMU ou resgate.
4- COMO O CALL CENTER PODERÁ RESOLVER OS MEUS PROBLEMAS?
O Call Center será os “ouvidos” do Sistema estadual de saúde.
Todas as gestantes cadastradas no Call Center terão suas consultas de pré-natal acompanhadas. A gestante receberá uma ligação antes da consulta para lembrá-la e outra depois da consulta para saber se está tudo bem, se a consulta foi realizada, se os exames corretos foram solicitados etc. Dessa maneira será garantido que toda gestante seja corretamente atendida durante o pré-natal. Caso seja identificada alguma dificuldade no atendimento ou algum risco para a gestação, um profissional do Call Center entrará em contato com os responsáveis para buscar a solução.
Além disso, durante todo o pré-natal a gestante ou qualquer pessoa da família poderá ligar para o Call Center e tirar dúvidas, inclusive em situações de urgências.
No caso do acompanhamento da criança com idade até um ano,serão feitas ligações para acompanhar as 3 consultas do primeiro mês de vida da criança e as demais consultas mensais que ocorrerão até que a criança complete 1ano de idade. Serão passadas, também, orientações sobre amamentação, cuidados com o bebê, etc. Da mesma forma, qualquer dificuldade será encaminhada para solução e a família terá um suporte 24hs, todos os dias da semana.
O contato contínuo com o Call Center facilitará a identificação de riscos tanto da gestante/mãe quanto da criança e ajudará a organizar o atendimento antes que problemas ocorram.
5- APÓS O NASCIMENTO DA CRIANÇA, EXISTE ALGUM ACOMPANHAMENTO OU MESMO UMA VISITA PARA DAR INFORMAÇÕES SOBRE AS MELHORES MANEIRAS PARA CUIDAR DO RECÉM NASCIDO?
Após o nascimento, os cuidados com a criança serão acompanhados pelo Call Center até que ela complete 1 ano de idade. A mãe/família receberá ligações para acompanhar as ações do 5º dia, as consultas de monitoramento do crescimento da criança e sanar qualquer dúvida ou problema que os cuidadores (pais e familiares responsáveis pela criação da criança) encontrem durante este período. As visitas devem ser feitas pela própria equipe que atende a gestante/mãe (equipe de saúde da família ou do plano de saúde, em alguns casos). Caso seja identificada alguma dificuldade neste processo, o Call Center acionará a rede de parceiros e de atendimento para solucioná-la.
Esquema de monitoramento da criança pelo Call Center.
6- O CALL CENTER TERÁ PARTICIPAÇÃO (ATIVA E PASSIVA) NO ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA MENOR DE UM ANO (CONFORME PREVISTO NO PROTOCOLO)?
Sim. Vide questão 6.
7- EM RELAÇÃO CERTIDÃO DE NASCIMENTO O QUE ESTÁ PREVISTO? E O REGISTRO NAS MATERNIDADES? HOUVE ALGUMA ALTERAÇÃO?
Uma das ações do projeto é viabilizar, em conjunto com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SEDESE/MG), o registro civil das crianças na própria Maternidade conforme Portaria n.º 938/GM, de 20/05/02. Este processo está em fase de articulação e a previsão é de que grande parte das maternidades já realize o registro civil no final de 2014. Por enquanto, os pais devem se responsabilizar por registrar o recém nascido.
8- SE HOUVER ALGUMA DÚVIDA REFERENTE A AMAMENTAÇÃO E CUIDADOS COM O RECÉM NASCIDO O CALL CENTER VAI SANÁ-LA (ENFERMEIRO / MÉDICO) OU TENTARÁ CONTACTAR A UBS/ESF?
O Call Center tem uma equipe de enfermeiros e médicos de plantão 24hs, todos os dias da semana. As gestantes, mães e familiares podem ligar para o 155 e tirar todas suas dúvidas relacionadas à criação de uma criança com até 1 ano de idade. A equipe do Call Center, caso identifique alguma necessidade de ação presencial, orientará a família, mãe ou gestante para procurar o atendimento ou de urgência ou na unidade básica/consultório médico, de acordo com cada caso. Se houver dificuldade nesse atendimento serão acionados outros mecanismos para resolver o problema.
9- UMA USUÁRIA QUE FAZ O SEU PRÉ-NATAL NA REDE PRIVADA PODERÁ ADERIR AO MÃES DE MINAS?
Todas as gestantes e familiares de crianças com até 1 ano podem e devem se cadastrar no projeto poralgum dos mecanismos disponíveis (Call Center (155), laboratório ou médico – ver questão 2), incluindo aquelas atendidas na rede particular (planos de saúde etc). O projeto pretende garantir a saúde de todos, mães e crianças, independente da condição socioeconômica.
10- ONDE POSSO FAZER MEU PRÉ-NATAL?
Todas as gestantes devem ser acompanhadas nas unidades básicas de saúde/ Programa de Saúde da Família. O pré-natal pode e deve ser realizado pelo médico do posto/unidade básica, que é capacitado para isso e por ser próximo à casa da gestante, facilitando o comparecimento a consulta.
A gestação de alto risco deve ser identificada durante as consultas de pré-natal e acompanhada também no centro de referência no município pólo da região (município próximo ou no próprio município quando houver).
A cada consulta de pré-natal o médico deve avaliar o risco da gestação e, se for o caso, encaminhar a gestante para o atendimento no centro de referência.
Após a confirmação da gravidez, a gestante deve realizar uma consulta de pré-natal por mês até a 36ª semana, quando as consultas devem ocorrer de 15 em 15 dias.
Aquelas gestantes ou mulheres com suspeita de gravidez que não sabem qual a unidade de saúde mais próxima de sua residência podem ligar para o Call Center (155, opção 2: Secretaria de Estado da Saúde, opção 1 Mães de Minas) e informar onde moram. O Call Center identificará a unidade básica mais próxima.
Caso você tenha um médico ginecologista/obstetra particular ou de algum plano de saúde que a acompanhe, os mesmos procedimentos deverão ser realizados com o seu médico (consultas mensais até a 36ª. semana e quinzenais depois disso).
11- COMO FAÇO PARA GARANTIR A REALIZAÇÃO DO MEU PARTO EM UMA MATERNIDADE?
Por intermédio do SUS todas as gestantes têm direito à assistência completa, desde o pré-natal até o nascimento e acompanhamento do crescimento da criança. A partir do momento em que as consultas de pré-natal forem iniciadas a gestante já pertence ao sistema e terá seu atendimento garantido.
Para organização do atendimento das gestantes, elas não podem escolher a maternidade na qual terão a criança. isso é definido em função da capacidade de atendimento e da localização geográfica. No entanto, após definida pelo sistema qual a maternidade a atenderá, a gestante poderá visitar a maternidade em que ocorrerá o parto.. Nos municípios que não têm maternidade, geralmente as gestantes são encaminhadas aos municípios pólo da região (municípios vizinhos).
A garantia do atendimento, no caso do parto, será dada o quanto antes a gestante for conhecida e estiver sendo acompanhada no pré-natal, pois assim será possível prever a demanda de atendimento.
É importante ressaltar que algumas gestantes de risco só podem dar a luz em hospitais de maior porte, pois poderão precisar de atendimento mais especializado. Na maioria das vezes esses hospitais ficam em municípios pólo e o deslocamento da gestante pode acontecer dias ou mesmo semanas antes da data prevista para o parto, para evitar riscos maiores. Estas gestantes devem ser acompanhadas com mais cuidado durante toda a gestação e devem ser identificadas o quanto antes para que seja possível prever a necessidade de internação nestes hospitais.
Em todos os casos é fundamental o cadastramento o mais próximo possível do início da gravidez (tão logo se saiba da gravidez) para que todas as providências sejam tomadas de modo a garantir uma gravidez tranqüila e um parto com bons resultados para a mãe e para a criança.
12- ONDE LEVO MEU FILHO PARA SE CONSULTAR?
As consultas dos primeiros meses de vida da criança devem acontecer na unidade básica de saúde/ posto de saúde próximos da casa da criança pelo médico clínico geral e enfermeira/o. No primeiro mês de vida a criança deve realizar 3 visitas à unidade de saúde: a 1ª no 5º dia de vida para realizar o teste do pezinho, a 2ª com 15 a 20 dias de vida e a 3ª no 30º dia de vida. É importante que essas e as próximas consultas sejam realizadas, pois o maior risco de morte das crianças ocorre nos primeiros 30 dias de vida. Durante estas consultas a mãe também será examinada, para avaliar qualquer problema do resguardo (puerpério).
Durante estas consultas será avaliado o risco da criança em relação a certas doenças e, se for necessário, ela será encaminhada para acompanhamento do pediatra nos centros de referência.
As mães ou familiares de criança com até 1 ano que não sabem qual a unidade de saúde mais próxima de sua residência podem ligar para o Call Center (155, opção 2: Secretaria de Estado da Saúde, opção 1 Mães de Minas) e informar onde moram. O Call Center identificará a unidade básica mais próxima.
Para as família que possuem plano de saúde, a visita à unidade básica de saúde para a realização das ações do 5º dia deve acontecer da mesma forma, pois lá serão feitas as vacinas e o teste do pezinho. As demais consultas podem ser feitas com o médico do plano de saúde de acordo com a preferência da família.
13- SE EU NÃO CONSEGUIR MARCAR MINHA CONSULTA OU EXAME, O QUE DEVO FAZER?
Qualquer problema em relação à consulta deve ser informado ao Call Center (155, opção 2: Secretaria de Estado da Saúde, opção 1 Mães de Minas), que acionará a rede de parceiros e de atendimento para solucioná-lo.Quando uma consulta ou procedimento (como solicitação de exames) não for realizado, a gestante/ mãe ou familiar pode procurar também os parceiros das pastorais e associações da sua comunidade, assim como prefeito, vereadores etc. O importante é garantir que a gestação e o crescimento das crianças sejam corretamente acompanhados.
14- A GESTANTE VAI RECEBER ALGUMA AJUDA FINANCEIRA?
Não. O projeto visa criar mecanismos para garantir a assistência completa à gestante e à criança, mas não inclui repasse de recursos para elas. A gestante será acompanhada em toda a gestação, bem como a criança até completar 1 ano de vida. Por meio do projeto será distribuído material informativo de acordo com cada idade gestacional e durante o primeiro mês de vida da criança. As gestantes que apresentarem critérios de vulnerabilidade social receberão um enxoval na maternidade ou no seu domicílio. Será formalizada, ainda, uma parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDESE/MG) para que estas gestantes e crianças em situação de risco sejam inseridas no Sistema Único de Assistência Social e recebam os auxílios definidos.
15- O PROJETO VAI REALIZAR MARCAÇÃO DE CONSULTA E EXAMES?
Não. O Call Center não marcará consultas. Por meio das informações fornecidas pela gestante durante as ligações a equipe do projeto intervirá junto às secretarias municipais para que os problemas sejam solucionados. Assim, questões como a regularização de consultas, de exames, etc. serão solucionadas pela articulação dos profissionais do Mães de Minas junto aos responsáveis pelo atendimento às gestantes e crianças.
16- O CALL CENTER VAI AGENDAR O PARTO NA MATERNIDADE DE PREFERÊNCIA DA GESTANTE?
Não. Cada Município tem uma maternidade de referência onde a gestante realizará o parto. Essa maternidade pode estar localizada no próprio município ou no município pólo (próximo ao município). A definição da
maternidade onde a gestante será atendida leva em conta a capacidade de atendimento da unidade e as condições de trabalho do local. Apesar de não ser possível escolher a maternidade do parto, a gestante tem direito ao conhecimento e à vinculação prévia à maternidade na qual será realizado seu parto e na qual ela será atendida nos casos de problemas do pré-natal (Lei nº 11.634 – 27/12/07).
17- QUANDO FALTA MÉDICO NA UNIDADE DE SAÚDE O QUE O CALL CENTER PODE FAZER?
No caso de atendimentos agendados (quando não houver risco para mãe e bebê) a gestante deverá informar a falta de médico ao Call Center, que entrará em contato com os responsáveis para identificar uma alternativa até que a falta de médico seja solucionada.
Em caso de Emergência/Urgência, a ligação será transferida ao enfermeiro que dará as primeiras orientações e informará a mãe/gestante sobre a necessidade de procurar a maternidade de referência, o endereço da mesma, etc.
18- QUANDO HOUVER DE GREVE, O CALL CENTER PRESTARÁ INFORMAÇÕES PARA O ATENDIMENTO?
No caso de atendimentos agendados (quando não houver risco para mãe e bebê) a gestante deverá informar ao Call Center, que entrará em contato com os responsáveis para identificar uma alternativa até que a falta de médico seja solucionada.
Em caso de Emergência/Urgência, a ligação será transferida ao enfermeiro que dará as primeiras orientações e informará a mãe/gestante sobre a necessidade de procurar a maternidade de referência, o endereço da mesma, etc.
19- QUANDO A GESTANTE RECEBERÁ O KIT E ONDE SERÁ REALIZADA A ENTREGA?
O kit será distribuído exclusivamente às gestantes que apresentarem vulnerabilidade social, segundo os critérios definidos pelo projeto Mães de Minas, e será entregue próximo ao nascimento.
20- O PROJETO TOMARÁ ALGUMA PROVIDÊNCIA QUANDO AS GESTANTES NÃO CONSEGUIREM ATENDIMENTO NA UNIDADE DE SAÚDE?
No caso de atendimentos agendados (quando não houver risco para mãe e bebê) a gestante deverá informar ao Call Center, que entrará em contato com os responsáveis para identificar uma alternativa até que a falta de médico seja solucionada.
Em caso de Emergência/Urgência, a ligação será transferida ao enfermeiro que dará as primeiras orientações e informará a mãe/gestante sobre a necessidade de procurar a maternidade de referência, o endereço da mesma, etc.
21- EXISTE REALMENTE O VALE TÁXI? E COMO TER ACESSO AO MESMO?
O Projeto Mães de Minas não tem recurso para o vale táxi. O Governo Federal prometeu o vale táxi, mas ainda não informou como vai disponibilizá-lo. Assim que for definido, o Mães de Minas divulgará e as gestantes do projeto que tiverem direito receberão.

Fonte: http://www.maesdeminas.com.br/sobre-o-projeto-maes-de-minas

Reações:

1 comentários:

Adorei essa matéria, estou grávida de 6 meses e tudo sobre mãe e bebês me interessa muito.